Japan House São Paulo | Daruma
iniciar
#DARUMAJHSP
Com o objetivo de disseminar um costume japonês, a Japan House São Paulo promove, de 17 de janeiro a 27 de fevereiro, a Campanha Daruma (#DARUMAJHSP) virtualmente e pelas ruas de São Paulo. Muito popular no Japão, o boneco Daruma é conhecido como Amuleto da Sorte para a realização de desejos.

Em um roteiro com seis diferentes endereços na cidade, o Daruma de dois metros de altura chega às ruas da cidade, com uma proposta híbrida de interação que une o presencial com o digital. Para participar, basta tirar uma foto do amuleto gigante usando um filtro do Instagram que permite pintar o olho direito do Daruma para fazer o pedido, além de permitir a customização do design do talismã usando outras cores e desenhos.
Faça parte da ação!
Um QR Code disponível no local traz orientações gerais e o link de acesso ao filtro possibilita uso de gifs, desejos de prosperidade para o mundo, entre outras opções. Já virtualmente, a #DARUMAJHSP se estende até o final de março nas redes sociais da instituição com conteúdos especiais sobre a história e curiosidades deste ícone da cultura japonesa. A ação conta com o apoio da Prefeitura de São Paulo e da São Paulo Turismo (SPTuris).

De cor preta e branca, o grande Daruma propõe disseminar um espírito positivo e de boa sorte pela cidade, em uma experiência que mescla a vivência presencial e digital.
A história do Daruma
Daruma: o amuleto que ensina todo ano o que é persistência
A história do Daruma
O Daruma, um popular amuleto japonês, é tanto um símbolo de boa sorte quanto um lembrete da importância de se persistir diante dos desafios para que seja possível alcançar qualquer objetivo ou resolução.

A própria história em torno da origem do Daruma é uma lição de perseverança. Conta-se que os bonecos foram inspirados em Bodhidharma, um príncipe que renunciou à vida mundana para se tornar monge. Considerado o fundador do Zen Budismo, ele teria passado nove anos em uma caverna praticando a meditação Zazen, o que o atrofiou e fez com que suas mãos e pernas desaparecessem. Por isso, ele passou a ser retratado sem esses membros.
A história do Daruma
Em uma das versões mais conhecidas da história, o Templo Shorinzan Darumaji, em Gunma, costumava distribuir imagens de Bodhidharma como amuletos de boa sorte todos os anos, mas foi somente no século XVIII que eles passaram a ser comercializados em feiras e festivais nos moldes que conhecemos hoje.
A história do Daruma
A crença popular na época é a de que o amuleto espantaria a varíola. Posteriormente, acreditava-se que, quando colocado perto das larvas de bicho da seda, o Daruma fazia com que elas dessem bons casulos, tornando-se protetores da sericultura. A partir daí, a fé na boa sorte trazida pelo boneco se estendeu à saúde, finanças e negócios, sendo usado tanto por candidatos a cargos públicos quanto por estudantes prestando vestibulares.
O Daruma nos costumes japoneses
"Se cair sete vezes, levante-se oito"
O Daruma nos costumes japoneses
As cores do Daruma

Apesar do vermelho ser mais comum, é possível encontrar o amuleto em diversas cores, cada uma correspondendo a um tipo de desejo.

O branco, por exemplo, inclui longevidade, sucesso nos estudos e parto tranquilo, enquanto amarelo é sucesso financeiro, verde é saúde, azul é sucesso profissional, laranja é prosperidade, rosa é amor, púrpura é nobreza, preto é para espantar os maus espíritos, dourado é vitória, prata significa mudanças, marrom é confiança; e o mais conhecido: vermelho remete à segurança no lar.
O Daruma nos costumes japoneses
O amuleto que realiza desejos

Uma das razões que tornam o Daruma um presente bastante popular no Japão é seu simbolismo de realizar os desejos de quem se presenteia.

Diz a tradição que se deve pintar o olho esquerdo da figura ao fazer um pedido e o olho direito só deve ser pintado quando o desejo for realizado. Essa prática também é chamada de "o abrir dos olhos", que corresponde à iluminação em uma referência ao nome dado por artistas ao momento de colocar os olhos nos retratos de divindades budistas.
O Daruma nos costumes japoneses
A despedida anual do Daruma

Terminado o ano-calendário, não importando se o desejo foi ou não realizado, o Daruma deve receber um Kuyô - cerimônia na qual devem ser retornados aos templos budistas ou xintoístas onde foram adquiridos para serem queimados e substituídos por novos amuletos.

Há quem diga que a troca de velhos Daruma por novos foi a forma encontrada por comerciantes do Período Edo (1603-1868) continuarem vendendo mais bonecos, enquanto outras pessoas defendem que o processo ajuda as pessoas a se comprometerem novamente com seus objetivos ou, quem sabe, reconsiderar e buscar algo diferente.
Brincadeiras com o Daruma
A tradição do Daruma faz parte da cultura e costumes japoneses de maneira intrínseca, inclusive nas brincadeiras. Entre as várias maneiras de brincar que envolvem o popular amuleto, quatro se destacam:
Brincadeiras com o Daruma
Daruma-Otoshi, ou "Derruba-Daruma"

O jogo consiste em cilindros chatos de madeira no formato de cilindros e um Daruma, formando uma pilha na vertical com o boneco no topo. O objetivo é tirar peça por peça com um pequeno martelo (também de madeira) e fazer com que o amuleto chegue ao chão sem ser derrubado.
Brincadeiras com o Daruma
Daruma-san ga Koronda, ou "O seu Daruma tropeçou"

Esse jogo é a versão da conhecida brincadeira pega-pega. Em Daruma-san ga Koronda, existem as crianças que devem fugir e a que deve alcançá-las. As fugitivas precisam tocar o pegador e correr para o mais longe possível até que o pegador termine de dizer a frase "o seu Daruma tropeçou”.
Brincadeiras com o Daruma
Niramekko, ou jogo de encarar

Em Niramekko, dois participantes devem se encarar e quem der risada primeiro perde o jogo. Para começar a brincadeira, deve ser entoada a trova “seu Daruma, seu Daruma, vamos brincar de nos encarar. Perde quem rir, Appuppu!”.
Brincadeiras com o Daruma
Yuki Daruma, ou Daruma de neve

No Japão, os bonecos de neve são chamados de Yuki Daruma. Há séculos, desde o final do período Edo (1603-1868), pinturas já mostravam o Daruma de neve com presentes em sua frente, provando que também era considerado amuleto para atrair a boa sorte.
As festividades dedicadas ao Daruma
A importância dos festivais no Japão
As festividades dedicadas ao Daruma
Basta uma breve consulta a um calendário sazonal do Japão para perceber a importância dos festivais. Mais do que refletir a essência do país e seu povo, essas celebrações são uma forma de honrar e reverenciar sua história e tradições, compartilhando-as com as gerações mais jovens e visitantes do mundo todo. Nos primeiros meses do ano, muitos eventos em diferentes regiões são dedicados a expressar gratidão à vida, seja pelo fechamento ou pelo início de ciclos representados pelos bonecos Daruma.
As festividades dedicadas ao Daruma
Os festivais da tradição Daruma e a celebração da renovação da vida

Entre os diversos rituais em torno deste popular amuleto está o Kuyô, uma cerimônia de purificação pelo fogo realizada em templos budistas e santuários xintoístas em que os bonecos do ano anterior são queimados. Geralmente, os sacerdotes mais experientes são incumbidos de acender a pira enquanto entoam cânticos para celebrar o renascimento e a renovação característicos desta tradição. A cerimônia é acompanhada pelo público, que mantém um respeitoso silêncio durante todo o processo.

A solenidade, entretanto, é logo substituída por uma programação tomada por músicas, danças, gastronomia e outras tradições representativas desses festivais. Para quem participa, é uma excelente oportunidade de reafirmar o compromisso com seus sonhos e objetivos, adquirindo um novo Daruma - que servirá como lembrete da importância de seguir em frente,
As festividades dedicadas ao Daruma
Os principais festivais

São vários eventos ocorrendo nessa época em diferentes províncias do Japão, cada um deles atraindo milhares de pessoas todos os anos. Entre os mais conhecidos estão os festivais e feiras Daruma em Akita (Templo Hoshitsuji Jinja), Fukushima (Miharu e Shirakawa), Gunma (Maebashi), Hiroshima (Mihara Shin-mei), Kanagawa (Templo Kawasaki Daishi e Templo Asao Fudô), Nagano (Templo Hokoji Jinja), Saitama (Templo Kitain) e Tóquio (Itsukaichi, Oume e Templo Haijima Daishi).
As festividades dedicadas ao Daruma
Festival Yakuyoke Ganzai Daishi

Contudo, três festividades dedicadas ao Daruma destacam-se como as maiores e mais importantes do país. A começar pelo Festival Yakuyoke Ganzai Daishi, realizado em março pelo Templo Jindaiji de Chofu, em Tóquio. Depois de adquirir um boneco em uma das 300 barracas, pode-se ir a um dos monges especializados no ritual de “Abertura dos Olhos”.

Em vez de somente preencher a pupila esquerda, eles pintam a letra em sânscrito correspondente ao O do mantra Om, ou o “início de tudo” - uma forma de afastar o azar. Quem tem o desejo realizado, retorna para preencher o ideograma que representa o M, significando o fim, ou a conclusão. Uma procissão com sacerdotes tocando instrumentos musicais antigos faz parte de uma tradição conhecida como Hyakumi Kenku, ritual em que diversas comidas são oferecidas ao espírito do Buda.
As festividades dedicadas ao Daruma
Festival Bishamonten

Em Shizuoka, o Festival Bishamonten de Fuji é organizado pelo templo Kokyuzan Myoho-ji e chega a receber 500 mil visitantes ao longo de três dias. Um dos destaques aqui é um Daruma típico, retratado com uma grande barba e bigode em alusão a Bishamonten. Diz a lenda que a divindade — que, além de protetor do Budismo, é também um dos Sete Deuses da Boa Sorte — costuma vir ao mundo dos humanos para ouvir os desejos das pessoas sempre no 7º, 8º e 9º dias do Ano Novo Chinês (isso faz com que a data do evento mude de acordo com o calendário lunar).
As festividades dedicadas ao Daruma
Grande Festival Nanakusa, ou Feira Daruma de Takasaki

Todo ano, mais de 240 mil pessoas enfrentam as baixas temperaturas de janeiro para participar do Grande Festival Nanakusa do Templo Syorinzan, também conhecido como Feira Daruma de Takasaki. Os participantes acreditam que o calor das chamas produzidas pela queima dos amuletos protege as pessoas de doenças e desastres. Outra tradição é ver as Saotome (mulheres que plantam arroz) cantando enquanto preparam o Nanakusa Gayu, um mingau feito com 7 ervas da Primavera que atrai boa sorte e é oferecido ao público.

Uma recomendação dos organizadores destes eventos é sempre conferir os calendários oficiais para saber a data certa das festividades, uma vez que muitos deles costumam variar de um ano para o outro.
Encontre o Daruma
O roteiro terá início na Praça da Liberdade e, a partir deste endereço, o Daruma será levado para outras cinco localidades da cidade: Praça da República; Praça Silvio Romero; Largo da Matriz da Freguesia do Ó; Largo da Batata, encerrando o tour em frente a Japan House São Paulo.

Saiba onde o Daruma está nesta semana!
Clique e
descubra!
Praça da República
das 9h as 16h